A relação entre o resfriado e o estresse

Uma das doenças mais comuns, o resfriado, atinge praticamente todas as pessoas mais de uma vez na vida, podendo ser adquirido facilmente através do contato direto com pessoas ou objetos contaminados pelos mais variados tipos de vírus, altamente contagiosos.

Conhecemos bem algumas das maneiras mais tradicionais e eficazes de prevenção, ou para evitar a propagação da doença, tais como:

Frequente higienização das mãos;

Vitaminas C e D;

Permanecer aquecido em dias frios;

Evitar longas exposições a locais públicos e grandes aglomerações;

Usas lenços de papel descartáveis;

Cobrir a boca e o nariz quando for tossir ou espirrar;

Evitar compartilhamento de objetos pessoais com outras pessoas.

Uma recente pesquisa sugere ainda que em alguns casos, a infecção pode estar associada a fatores menos perceptíveis, porém muitas vezes corriqueiros como o estresse causado por conflitos sociais. Testes realizados em diversos indivíduos mostraram que o apoio social diminuía as taxas de infecção relacionadas ao estresse.

Abraço

O mesmo experimento foi repetido em seguida com ratos de laboratório analisados em dois grupos distintos: um composto por indivíduos com interações positivas entre si, e outro formado por membros que viviam de maneira mais independente e, eventualmente, se envolviam em conflito. A conclusão foi de que os ratos que viviam bem em grupo tinham uma probabilidade um terço menor de pegar resfriados.

Conclusão: Pode-se notar que a percepção de atos de apoio social em nosso meio pode influenciar diretamente na melhoria da nossa saúde. O efeito protetor gerado pelo abraço de pessoas de confiança pode reduzir ou até mesmo evitar os efeitos nocivos do estresse.